Como auxiliar a independência das crianças?

Para que a criança possa ter um bom crescimento pessoal, ela precisa aprender a ser independente. Isso requer muita dedicação e carinho. Ela precisa ser estimulada desde sua fase-bebê para, aos poucos, tornar-se independente dos adultos e estar preparada para interagir com o meio em que vive. A educação de um filho é um investimento sem igual, pois quando bem aplicada rende frutos hoje, amanhã, depois de amanhã, depois de depois de amanhã, por muitos anos. O protagonista A busca dessa independência deve ser motivada pelo bem da criança, e não para mostrar para as pessoas o que seu filho já é capaz de fazer. Por isso, toda a estimulação deve ser baseada na idade e maturidade física e emocional da criança, sem pular etapas, pois tudo tem seu tempo e hora certa. E esta hora não deve ser determinada pelo que o filho do vizinho faz, mas sim por aquilo que seu filho dá dicas de que está apto a fazer. O maior trabalho dos pais deve ser o de prestar atenção ao seu filho, perceber aquelas pequenas evoluções do dia-a-dia. Neste momento, a ansiedade da família pode atrapalhar muito, pois se você não consegue deixar seu filho tentar algo sozinho, como vai perceber seus avanços? Participe do desenvolvimento e da vida do seu filho, mas lembre-se, você é só o coadjuvante. Neste espetáculo, o papel principal é dele. Como fazer isso? Essa sua participação acontece em todas as fases como falar, sentar, cuidados pessoais etc. Se essas fases forem bem aproveitadas, você perceberá o surgimento de uma relação de troca muito agradável não apenas para a criança, mas também para você. A criança independente relaciona-se melhor com o mundo, e é por isso que cada manifestação de interesse em fazer algo sozinha, os pais devem incentivá-la, e não querer fazer por ela. Também não vale exigir perfeição: a criança vai executar a tarefa do jeitinho dela, que aos poucos e naturalmente será aperfeiçoado. Dicas: 2 a 4 anos Bebe em xícara ou copo sozinho, desembrulha balas, tira as meias, tira ou põe sua roupa com ajuda, toma banho com ajuda, pede para ir ao banheiro, vai para a cama sozinho, rabisca com lápis, muda objetos de lugar, ajuda em pequenas tarefas caseiras, fala frases, brinca com outras crianças. 4 a 6 anos Come com o garfo, veste-se sozinho, vai ao banheiro sozinho, penteia o cabelo sozinho, inicia suas próprias brincadeiras, representa para outros, participa de jogos competitivos, escreve palavras simples com letra bastão, arruma seu quarto e sua cama. (Texto de Idáira Amoreti dos Santos – Psicóloga Clínica – CRP 12/03474)