Rotina significa...

É de suma importância a rotina, principalmente na vida da criança. Desde o seu nascimento, deve-se estabelecer horários determinados, principalmente no que se refere a alimentação, higiene (banho) e sono. Na medida em que a criança cresce, suas responsabilidades e atividades também tendem a aumentar. E fica ainda mais necessário o estabelecimento e a manutenção da rotina. A rotina representa segurança, pois é previsível não gerando ansiedade e/ou desorientação. É importante que a criança mantenha uma rotina diária com hora para acordar, brincar, ver TV, alimentar-se, ir à escola e realizar suas atividades extracurriculares (natação, judô, balé, inglês...) Quando for necessária a mudança desta rotina é importante que a criança seja informada, desde que não seja com grande antecedência, para não gerar expectativas, já que a criança pequena não possui noção de tempo pré-estabelecido, igual ao adulto. O ideal é, ao acordar, rever a rotina daquele dia. Se possível elaborar um mural com suas atividades. Ex.: horário de almoço e jantar, com o respectivo cardápio. Quando a criança iniciar sua vida escolar com deveres de casa, estes também deverão fazer parte da rotina, com horários pré-estabelecidos, o que irá acarretar uma melhor organização. No início, poderá ser difícil manter a rotina, mas a perseverança por parte dos pais e cuidadores contribuirão para a adaptação. A rotina não deve ser vista como sendo rígida e estática. Ela deverá sim, ter uma espinha dorsal, mas com mobilidade, quando necessário. É bom lembrar que não adianta querer estabelecer rotina para a criança e a casa, se os pais não respeitarem. É fundamental que todos façam pelo menos uma refeição com a criança; que nesta rotina possua um momento da família (pai, mãe, filhos), enfim, pessoas que morem na casa. Este momento poderá ser escolhido pela família, pois rituais também são importantes para as crianças. A família deverá observar e manter a rotina de sábado, domingo e feriados. A flexibilidade nas exceções é importante desde que não signifique burlar as regras, os combinados que deverão ser levados em conta na grande maioria do tempo. No final do dia é adequado que os responsáveis revejam o dia junto com a criança. O que aconteceu no dia dela, se conseguiu manter a rotina. Se não, verificar o porquê e recapitular o que irá acontecer no dia seguinte. (Texto de Raquel Caruso, que coordena três unidades da Clínica Multidisciplinar EDAC - Equipe de Diagnóstico e Atendimento Clínico, em São Paulo, e atua nas áreas de Fonoaudiologia, Psicopedagogia, Psicomotricidade.) a